O que é Zwift? Faturamento maior que o da CBF

A junção entre Zwift e Marketing Esportivo tem resultados e números de faturamento relevantes para o chamado “Novo Normal”

Para se obter uma noção da amplitude de alcance e faturamento no Zwift basta fazer uma operação matemática simples, ou, como brincou o co-fundador da Vega Sports, Marcos Yano, uma “conta de padaria”.

Nós já falamos sobre esse tema no primeiro artigo da série aqui no Blog da Vega Sport, que você pode ler aqui [LINK]. Neste segundo momento, vamos trazer uma visão mais analítica sobre os números desse app.

Em seu recente artigo no Linkedin sobre o fenômeno do simulador online de ciclismo, Yano levou em conta duas características básicas nessa relação: o valor da assinatura do Zwift e o número de usuários globais.

“A assinatura pelo uso do programa é de US$ 15 dólares mensais e, levando em conta a média de 2 milhões de usuários, seriam mais de US$ 360 milhões de dólares ao ano de faturamento, ou R$ 2 bilhões!”, ressalta.

A Pandemia e os E-Sports

As atividades no Zwift se enquadram na categoria de E-Sports ou esportes eletrônicos – um mercado sólido, em notória ascensão e que foi responsável por movimentar US$ 1,1 bilhão ao redor do mundo em 2019, de acordo com o relatório Global Esports Market Report, da Newzoo.

Em 2020 esses números devem ter um up considerável por ocasião do massivo isolamento social, que foi desencadeado pela pandemia do coronavírus em todos os continentes.

O faturamento do Zwift, de acordo com a análise de Yano, motiva até mesmo comparativos relevantes para o segmento do Marketing Esportivo no Brasil.

“Trazendo uma comparação, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que tem a Seleção Brasileira de Futebol como o seu maior produto, faturou em 2019 pouco menos que R$ 1 bilhão”, relata.

Na visão do executivo, isso diz muito sobre as oportunidades de negócios, histórias e desafios que devem emanar desse momento que tanto se fala: “o Novo Normal”.

E nessa nova configuração do mundo pós-pandemia, certamente haverá espaço garantido para os e-sports. Afinal, não é qualquer ideia que consegue, em tão pouco tempo, ter um faturamento duas vezes maior que o de um órgão com o potencial da CBF, não é mesmo?

Perdeu a primeira parte deste artigo? Clique aqui e leia: O que é Zwift? Conheça sua trajetória de sucesso – parte 01 [LINK]

Acompanhe as novidades do Blog da Vega Sport, com conteúdos exclusivos sobre modalidades, negócios e Marketing Esportivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *